Presidente CEMICAMP apesenta aula em Webinar da OMS

Hoje, 11/01/2022, no evento de palestras online "COVID-19 and Pregnancy Case Management Webinar Series" realizado pela OMS o Presidente do CEMICAMP, Dr. Luis Bahamondes, apresentou uma aula sobre COVID-19 e contracepção no período pós-parto/pós-aborto.

Outras aulas também foram ministradas por professores de outras instituições e você pode conferir todos os tópicos abordados abaixo.

COVID-19 and Pregnancy_Online Agenda_11 January 22 (1)


Nenhuma pesquisa sobre nós sem nós: por que o fortalecimento da capacidade de pesquisa é essencial para a saúde de todos


A pesquisa de alta qualidade é crucial para políticas e programas de saúde eficazes em todos os países, mas a capacidade de pesquisa não está disponível igualmente em todo o mundo.

Logotipo da HRP Alliance“Precisamos investir em jovens pesquisadores, mulheres pesquisadoras e na capacidade do pesquisador de nível médio para desenvolver e aplicar suas habilidades”, explicou Malabika Sarker, Presidente do Conselho Consultivo da HRP Alliance . “ Se realmente queremos melhorar a capacidade de pesquisa, não pode ser apenas de cima para baixo .”

Aqui estão quatro razões pelas quais o fortalecimento da capacidade de pesquisa - conhecido como RCS - cruciais para um mundo onde todas as pessoas atingem o mais alto nível possível de saúde e direitos sexuais e reprodutivos (SRHR):

1) RCS fortalece comunidades de pesquisa para liderança nacional, regional e global

Forte pesquisadores, instituições e infraestrutura são essenciais para gerar dados que reflitam com precisão as populações e promovam a igualdade de gênero e os direitos humanos.

Desde 2017, a HRP Alliance tem colaborado com instituições de pesquisa nacionais e internacionais em países de baixa e média renda para ajudar a construir e conectar uma base sustentável de novos pesquisadores com experiência em SRHR. Isso permite que os pesquisadores se concentrem e publiquem em necessidades e interesses nacionais e regionais específicos. Também cria uma comunidade que pode sustentar os pesquisadores juniores na longa jornada de carreira que tem pela frente.

Mais de 2.200 indivíduos de 69 países foram apoiados pela HRP Alliance por meio de cursos de curta duração, bem como doutorado e mestrado. Dois recém-graduados com doutorado estiveram envolvidos em grandes estudos do HRP do Programa Especial de Pesquisa da ONU em saúde materna e planejamento familiar.

Charles M'poca

 

Como um PhD associado (fellow) da OMS-HRP, minha jornada não foi um esforço solitário”, disse Charles M'poca, apresentando sua pesquisa sobre mortalidade materna e SARS-CoV-2 na Reunião Global da HRP Alliance em setembro. Charles, que concluiu seu mestrado com o apoio da HRP Alliance, agora iniciou seu doutorado na Universidade de Campinas, Brasil através do CEMICAMP.

 

Tive experiência, exposição e oportunidades de crescimento. Eu quero ir para casa em Moçambique e criar um grupo de pesquisa sustentável sobre saúde materna e perinatal.” 

2) RCS cria um ambiente propício para pesquisadores

No centro da HRP Alliance estão os centros regionais de fortalecimento da capacidade de pesquisa - instituições acadêmicas selecionadas para liderar e fortalecer a capacidade de pesquisa em SRHR em suas regiões. Existem atualmente 7 hubs da HRP Alliance : Campinas, Brasil; Ouagadougou, Burkina Faso; Accra, Gana; Nairobi, Quénia; Karachi, Paquistão; Khon Kaen, Tailândia; e Hanói, Vietnã.

Logo do programa especial HRPA HRP Alliance conecta pesquisadores e instituições nesses centros aos escritórios da OMS, Centros Colaboradores da OMS e outros programas e parcerias especiais da OMS, bem como a projetos de pesquisa em andamento coordenados pelo HRP .

Além de criar oportunidades de pesquisa, os hubs da HRP Alliance são respostas estratégicas para dinâmica de poder na saúde global. Os desequilíbrios de poder podem criar barreiras à participação como iguais, especialmente para alguns pesquisadores em países de renda baixa e média, e contribuir para a propriedade limitada da pesquisa global em saúde que diz respeito diretamente às suas comunidades.

A HRP Alliance também promove a autoria justa de artigos científicos, incentiva grupos de pesquisa a incluir mulheres em posições de liderança e fornece mentoria estruturada para pesquisadoras em início de carreira .

“Meu mentor reconheceu meu zelo por pesquisa em um momento em que eu realmente precisava de um programa como este, me ajudando a priorizar”, explicou a Princesa Acheampong, pós-doutoranda em Gana, parte da primeira coorte do programa de mentores da HRP Alliance. “Eu também me conectei com outros pupilos no programa e agora estamos elaborando uma proposta de subsídio usando telefones celulares para melhorar a captação de serviços de saúde materna em Gana, Nepal e Paquistão.”

3) RCS facilita uma resposta rápida a emergências de saúde

Surtos e emergências de saúde criam a necessidade de agir rapidamente. Eles também são um lembrete de que evidências de alta qualidade são críticas para moldar respostas de saúde pública em tempo real.

Até o momento, a HRP Alliance financiou 23 desses projetos em colaboração com parceiros da OMS, incluindo chamadas conjuntas para pesquisas comunitárias sobre emergências de saúde durante o surto do vírus Zika (em 2016) e a crise de migração em massa nas Américas (em 2019).

Essas colaborações permitiram o surgimento de novas evidências do Brasil, Colômbia e Peru que fortaleceram o conhecimento sobre a relação entre doenças infecciosas da pobreza e saúde e direitos sexuais e reprodutivos. Isso é relevante tanto no contexto do Zika quanto na atual pandemia de COVID-19.

A HRP Alliance também ajudou a lançar uma luz de pesquisa sobre migrantes e refugiados , cuja saúde e direitos sexuais e reprodutivos são frequentemente restringidos - se não totalmente desconsiderados. A última chamada de propostas está apoiando11 grupos de pesquisa na América Latina para realizar pesquisas de alta qualidade e específicas ao contexto, com base nas prioridades locais e regionais, com ênfase na integração de considerações para igualdade de gênero e direitos humanos, bem como fortalecimento da capacidade de pesquisa.

Os centros da HRP Alliance também provaram ser essenciais para a resposta da pesquisa COVID-19, colaborando estreitamente com a OMS. Por meio de uma rede rápida e eficaz com os parceiros da HRP Alliance no início da pandemia, as redes de pesquisa COVID-19 foram rapidamente estabelecidas. Os centros estão liderando as pesquisas da OMS e do HRP relacionadas ao impacto da pandemia nos sistemas de saúde, gravidez e riscos do COVID-19 e experiências das mulheres com anticoncepcionais e aborto durante a pandemia.

4) RCS fortalece os objetivos compartilhados de todos os envolvidos

O fortalecimento efetivo da capacidade de pesquisa não é um projeto paralelo filantrópico: é uma parte fundamental dos ecossistemas de pesquisa sustentável de SRHR e da melhoria de SRHR para todos.

Desde o lançamento da nova estratégia em 2016, os pesquisadores apoiados pela HRP Alliance fizeram contribuições significativas para a implementação da OMS /Estudos do HRP em vários países,  construindo a base de evidências sobre questões críticas de saúde e direitos sexuais e reprodutivos. A HRP Alliance também mostrou que as oportunidades de participar de estudos de pesquisa maiores podem fortalecer a capacidade de pesquisa individual .

A saúde e os direitos sexuais e reprodutivos são um componente fundamental da cobertura universal de saúde, mas esforços para fortalecer a capacidade de pesquisa para gerar evidências para orientar a prestação de serviços de saúde sexual e reprodutiva são particularmente escassos”, disse Anna Thorson, Chefe de Unidade, Departamento de Saúde Sexual e Reprodutiva e Pesquisa da OMS / HRP.

A HRP Alliance tem um papel crítico a desempenhar, construindo redes, apoiando, ouvindo e aprendendo com o trabalho de cada um e fortalecendo as colaborações que irão melhorar a SRHR para todos.”

Página original: https://www.who.int/news/item/16-11-2021-no-research-about-us-without-us-why-research-capacity-strengthening-is-essential-to-health-for-all


Inscrições abertas de 1 a 15 de Dezembro/2021 para a Mentoria HRP - Alliance

 

 

ACESSE O LINK OFICIAL AQUI

 

O objetivo do programa de mentoria da HRP Alliance é apoiar pesquisadores em início de carreira em seu desenvolvimento profissional e de liderança por meio do apoio por meio de mentoria de pesquisadores seniores e colegas. O programa visa estimular o aprendizado e a aceitação de novos desafios.

- Para desenvolver um quadro de mentores de todo o mundo que expressem interesse em se tornarem mentores para pesquisadores de SRHR em início de carreira identificados na rede mais ampla da HRP Alliance. Atenção especial será dada ao recrutamento de mentores de centros de pesquisa de excelência em SRHR situados em LMIC e / ou Centros Colaboradores da OMS.

- Apoiar as relações de mentoria por meio de atividades de treinamento e capacitação.

- Apoiar o desenvolvimento profissional e de liderança de pesquisadores em início de carreira identificados por meio de um processo competitivo aberto à grande rede HRP Alliance.


Presidente CEMICAMP torna-se membro honorário da AMAdA


A Asociación Médica Argentina de Anticoncepción (AMAdA) foi fundada em 1999 e tem como um dos seus principais objetivos: "divulgar e promover o conhecimento científico relacionado à contracepção”, colaborando para alcançar os mais altos padrões em Saúde Sexual e Reprodutiva.
⠀⠀
Por compartilhar dos mesmos ideais, o Diretor Presidente do CEMICAMP, também Professor Titular do Departamento de Tocoginecologia FCM-UNICAMP, Dr. Luis Bahamondes, foi nomeado pelo Conselho de Administração AMAdA como "Membro honorário".
⠀⠀
Gostaríamos de parabenizá-lo por mais este destaque e reconhecimento internacional devido a sua importante atuação na área de saúde Materno-Infantil e contribuição para a ciência.

Campanha de arrecadação OAB Campinas

As Comissões de Ação Social e da Mulher Advogada da OAB Campinas iniciam uma campanha de solidariedade em prol das pacientes mais necessitadas atendidas pelo  Hospital da Mulher Prof. Dr. J. A. Pinotti-CAISM. Com o apoio do CEMICAMP (Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas), a iniciativa busca arrecadar recursos para aquisição de cestas básicas, medicamentos, produtos de higiene pessoal, roupas, órteses, próteses, entre outros itens necessários para mulheres de famílias carentes e vulnerabilidade social através do Núcleo de Voluntariado.

Segundo a presidente da Comissão de Ação Social, Gabriela Nicolau Olmedo Consul, os recursos arrecadados na campanha serão geridos pelos CAISM e utilizados na compra de itens, conforme a necessidade de cada paciente para que sejam atendidas o maior número de mulheres em dificuldade diante do momento atual da pandemia.

A campanha se dará por meio de depósito bancário (via PIX) em conta da área de responsabilidade social do CEMICAMP, sendo os valores integramente repassados para o CAISM. As presidentes das Comissões da OAB Campinas, as advogadas Gabriela Consul e Fábia Bigarani estão à frente da organização da campanha e mobilização da advocacia e da sociedade.

Para contribuir
Chave pix: malice@cemicamp.org.br
Banco Itaú – Ag. 0716
Conta – 99154-2
CNPJ – 49.409.816/0001-62

Conheça nossas Ações Sociais, clique aqui.

Protocolo de investigação sobre o impacto do Covid-19 em gestantes, puérperas e seus bebês

Para melhor entender como a infecção pelo Covid-19 durante a gravidez pode impactar nas mulheres e em seus recém-nascidos, a Organização Mundial de Saúde tem desenvolvido um protocolo de pesquisa padronizado de investigação.

O protocolo aborda questões chave de pesquisa, facilitando a coleta e análise de dados e amostras permitindo a comparação e unificação das informações de diferentes locais, ou seja, diversos países e centros podem desenvolver estudos padronizados e com os mesmos parâmetros, tornando-os facilmente comparáveis e gerando conclusões muito mais seguras.

Esse protocolo investiga os desfechos da gestante ou puérpera que foi exposta ao vírus, e as compara com as que não foram
infectadas.

O objetivo é determinar se a infecção pelo SARS-Cov-2 (Covid-19) durante a gestação aumenta o risco para problemas na mulher ou recém-nascido. Além disso, o estudo poderá quantificar a taxa de transmissão vertical (da mãe para o bebê ainda sem nascer) e pós-natal.

É esperado que os achados deste estudo sejam amplamente divulgados e utilizados para embasar o desenvolvimento de recomendações sobre a vigilância, manejo e aconselhamento de mulheres antes, durante e após a gravidez.

A implementação desse protocolo de estudo irá auxiliar a formar políticas em saúde pública e também futuros protocolos de pesquisa.

Desde Março de 2020, no Brasil, Argentina e Chile a adaptação e atuação deste projeto se dá pela REBRACO (Rede Brasileira de Estudo do Covid-19 em Obstetrícia) e conta com diversos centros de pesquisa em saúde materno-infantil.


Pesquisa "Perspectiva dos Homens sobre a violência contra a parceira"

 

Há muito se estuda como o que vivenciamos durante a infância reflete na vida adulta, inclusive nos temas que envolvem a violência contra a mulher.

A Dra. Maria José Osis é graduada em Ciências Sociais pela UNICAMP, doutora em Saúde Pública pela USP e pesquisadora CEMICAMP. Recentemente colaborou em uma pesquisa "Perspectiva de los hombres sobre la violencia de pareja en Paraguay" do Centro Paraguayo de Estudios de Población. O estudo trouxe, dentre muitos dados, estatísticas expressivas sobre como as punições na infância podem perpetuar a violência contra a parceira e sua naturalização.

No estudo, 67,4% dos entrevistados considera justificável a violência moral contra a parceira e 26% presenciou agressões físicas contra suas mães ou madrastas. Além de que 89% sofreu algum tipo de castigo físico ou moral durante a infância e destes, 45% afirmaram perpetuar atitudes de violência contra suas parceiras.

O estudo foi realizado com mil homens paraguaios de 29-40 anos e a eles foram feitas afirmativas sobre: atitudes, crenças, opiniões, experiências, papéis de gênero, direitos e perpetuação de violência familiar.

As respostas mostraram, em geral, opiniões amplamente equitativas relacionadas ao trabalho, ao cuidado dos filhos e papéis de gênero, mas isto ainda contrasta com os dados oficiais sobre a distribuição e participação de homens no trabalho doméstico não remunerado, além da percepção de atitudes violentas como algo justificável e/ou natural.
Este cenário se dá por fatores culturais, religiosos e socioeconômicos, além das já mencionadas, agressões físicas e morais sofridas na infância .

O artigo completo com todos os resultados e gráficos pode ser acessado aqui: http://www.cepep.org.py/archivos/perspectivahombreviolencia.pdf


Presidente e pesquisador sênior Cemicamp compõe a listagem de pesquisadores mais influentes do mundo.

O Dr. Luís Bahamondes, presidente do CEMICAMP, e o Pesquisador Sênior, Dr. Aníbal Faundes, compõe a lista dos cientistas mais influentes do mundo!

O Journal Plos Biology (JPB) acaba de publicar a lista dos 100 mil #cientistas mais #influentes do mundo.

Além destes #pesquisadores, 600 outros também são brasileiros, 54 pertencem a Unicamp - Universidade Estadual de Campinas e 10 são docentes na Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP.

São eles: Anibal Faundes, Luis Guillermo Bahamondes, Marilda Mazzali, Fernando Cendes, Lício Velloso, Mário José Abdala Saad, Gilberto De Nucci, Vital Paulino Costa, Anibal Vercesi e Sandro Esteves.

Conduzida por um grupo de pesquisadores da Universidade de Stanford (EUA), a pesquisa intitulada “updated science-wide author databases of standardized citacion indicators” analisou a base de dados Scopus, que estabelece dois principais rankings de pesquisadores: um que mede o impacto do pesquisador ao longo da carreira e outro que verifica o impacto da produção científica do pesquisador em um único ano.

Verifique a lista completa dos pesquisadores da Unicamp que integram o ranking dos 100 mil mais influentes do mundo, aqui:
https://bit.ly/pesquisadoresunicamp

FONTE: https://www.fcm.unicamp.br/fcm/relacoes-publicas/saladeimprensa/docentes-da-fcm-integram-lista-de-cientistas-mais-influentes-do-mundo