Vamos conversar sobre a VACINAÇÃO CONTRA COVID-19?

ACESSE O QUESTIONÁRIO AQUI

Estamos convidando mulheres de 18 a 49 anos e homens com 18 anos ou mais para participar de uma pesquisa sobre “Fatores relacionados à aceitação da vacina contra COVID-19 em mulheres brasileiras em idade reprodutiva e seus parceiros. Para isso, precisamos da sua colaboração, se você está nessa faixa etária. Você nos ajudaria preenchendo um questionário que leva uns 10 minutos para ser respondido. Sua colaboração é muito importante para nós! As informações obtidas sobre a vacinação, ajudarão na organização das estratégias relacionadas à pandemia.

Antes de responder ao questionário você terá acesso ao Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Recomendamos que você o leia e faça uma cópia dele e o mantenha com você. Após ler o Termo, caso você aceite participar, marque essa opção e acesse o questionário. Lembrando que você pode deixar de responder quaisquer perguntas e decidir deixar de participar da pesquisa a qualquer momento. 

A sua participação é muito importante para melhorar o conhecimento sobre a vacinação contra COVID-19.

Autorização do Comitê de Ética em Pesquisa da UNICAMP – CAAE: 57410722.3.0000.5404

ACESSE O QUESTIONÁRIO AQUI

Visita de Dra. Edna Kara (WHO), Dr. Sérgio Muñoz Navarro e Dr. Álvaro Danilo Cerda Maureura (Universidad de la Frontera, Chile) ao CEMICAMP

Nesta segunda feira, 30 de maio, o CEMICAMP teve e honra de receber uma visita da Dr. Edna Kara da OMS e dos Drs. Sérgio Muñoz Navarro e Álvaro Danilo Cerda Maureura da Universidad de la Frontera, Chile.

Nesta visita esteve presente o Dr. Luis Bahamondes, Presidente CEMICAMP, alunos do programa HUB-OMS, e docentes da FCM-UNICAMP. Para conferir todos que prestigiaram essa visitação, veja a imagem abaixo:


Diretora do projeto HUB Vietnã realiza visita ao CEMICAMP

Nesta terça-feira, 03/05/2022, o CEMICAMP teve a honra de receber a Prof. Assoc. Nguyen Thi Thuy Hanh, MD., PhD. Vice-chefe, Chefe do Departamento de População, Departamento de Treinamento, Gestão Científica e Instituto Colaborador Internacional para Medicina Preventiva e Saúde Pública da Universidade Médica de Hanói no Vietnã.

Assim como o Dr. Luis Bahamondes, presidente CEMICAMP, é responsável pelo programa da OMS “HUB Brasil” a Dra. Nguyen é responsável pelo “HUB Vietnã”.

Este encontro foi marcado com o objetivo de explorar as possibilidades de intercâmbio e colaboração em pesquisa, aspectos da formação do Mestrado em Saúde Pública (especialização em Saúde Sexual e Reprodutiva) e uma aproximação de ambos os centros de pesquisa.

O projeto LID/HUB patrocinado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tem como principal objetivo, formar novos pesquisadores em saúde sexual e reprodutiva (SSR) de países com baixo índice de desenvolvimento humano, sendo de grande importância para o crescimento cientifico dos países que sediam este projeto.

Da esquerda para a direita:

Dra. Ana Claudia Marcelino Diretora de Pesquisas – CEMICAMP.
Dr. Luis Bahamondes, Presidente CEMICAMP e Diretor Hub Brasil.
Dra. Maria Laura Costa, Livre Docente em Obstetrícia – UNICAMP .
Dra. Nguyen Thi Thuy Hanh, Diretora HUB Vietnã – Universidade Médica de Hanói.
Dr. Luiz Baccaro, Livre Docente em Tocoginecologia – UNICAMP.

Confira mais fotos desta visita abaixo:


Bolsistas do projeto LID/HUB foram eleitos para representação discente da FCM - UNICAMP

Os programas de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas têm o objetivo de propiciar a formação de professores pesquisadores de alto nível nas diversas áreas do conhecimento da saúde. A busca persistente de excelência acadêmica e o compromisso com a atividade de pesquisa constituem o substrato básico que norteia os Programas.

Hoje saiu o resultado da eleição para Representação discente 2022/2023 dos PPG Toco, e os eleitos são bolsistas do projeto HUB da OMS, e gostaríamos de parabenizá-los por esta conquista:

Titular: Charles M´poca, Moçambique

Suplente: Negli René Gallardo Alvarado

 

Clique aqui para conhecer mais sobre o Programa de Apoio Financeiro à Bolsistas de Países em Desenvolvimento (HUB).

Ministério da Saúde capacita médicos para inserção do DIU no Amazonas; 1.154 mulheres foram assistidas

Iniciativa visa reduzir gravidez não planejada e contribui para o enfrentamento da mortalidade materna na regiãoO Ministério da Saúde treinou equipes da Atenção Primária à Saúde (APS) do estado do Amazonas para inserção do dispositivo intrauterino (DIU) de cobre. Com a ação que durou uma semana, 23 médicos foram capacitados e 1.154 mulheres foram assistidas com o dispositivo. A iniciativa tem como objetivo reduzir o número de gestações não planejadas e, consequentemente, contribuir para a redução da mortalidade materna no estado.

O treinamento fortalece, ainda, as ações de planejamento familiar e amplia o acesso a métodos contraceptivos de longa duração às mulheres residentes em áreas remotas e mais vulneráveis. A ação contou ainda com a parceria da Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (SES-AM) e secretarias municipais de saúde.

Sabemos da dificuldade que muitas ribeirinhas e indígenas encontram para ter acesso a métodos contraceptivos por viverem em áreas muito remotas e distantes dos serviços de saúde. O DIU é uma alternativa segura e eficiente que pode atender às necessidades dessas mulheres”, destacou a diretora substituta do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas do Ministério da Saúde, Lana de Lourdes Aguiar Lima.

O dispositivo é um método contraceptivo de longa duração, seguro e eficaz, que não depende do hábito da usuária para ter efeito. O DIU tem duração de 10 anos e é ofertado gratuitamente pelo SUS, a todos os estados do País. “Não basta apenas ofertar o método, é necessário que os profissionais estejam habilitados para realizar o procedimento de inserção. Por isso esse projeto é tão importante para garantir o acesso”, reforçou Lana.

A iniciativa soma-se às ações desenvolvidas pelo MS para redução da morbidade grave e mortalidade materna por causas evitáveis, em especial no contexto da pandemia da Covid-19. Em dezembro de 2021, a pasta ainda realizou a capacitação de 41 médicos e a inserção de 693 dispositivos intra-uterinos em mulheres no estado.

Redução da mortalidade materna

O Ministério da Saúde lançou no início deste mês, em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), a Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (SES-AM) e secretarias municipais de mais 11 municípios amazonenses, o projeto Telemonitoramento do pré-natal de baixo e alto risco e das intercorrências obstétricas no estado.

A iniciativa foi celebrada por meio de Termo de Execução Descentralizado com a UFAM no valor de R$ 5,2 milhões, para a implementação de uma plataforma de telemonitoramento obstétrico que permita integrar, incorporar e monitorar dados e informações clínicas produzidos pelas equipes da APS, atenção ambulatorial especializada, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), hospitais de pequeno porte, maternidades de baixo risco e maternidades referência para alto risco no Estado do Amazonas.

O projeto ainda prevê a oferta de interconsulta aos profissionais de saúde com especialistas disponíveis 24 horas para apoiar o manejo clínico da gestação no pré-natal e a detecção precoce e tratamento oportuno de intercorrências obstétricas.

Em 2021, a pasta ainda lançou o Projeto Força Pré-Natal do SUS para apoiar a organização da atenção ao pré-natal de baixo risco com foco na redução da morbimortalidade materna e neonatal precoce, por meio do fortalecimento das ações de manejo clínico da gestação, diagnóstico e tratamento da sífilis e HIV na gestação, coleta de exame preventivo do câncer de colo de útero e pré-natal odontológico.

Foram capacitados 352 profissionais da Estratégia de Saúde da Família e Saúde Bucal dos municípios Manaus, Rio Preto da Eva, Iranduba, Presidente Figueiredo e Parintins. As ações seguem no ano de 2022 para os demais municípios prioritários.

Investimentos no Amazonas

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, destinou mais de R$ 30 milhões de recursos ao estado para o reforço de ações de qualificação e cuidado às gestantes e puérperas. Desse total, R$ 16,6 milhões foram destinados, por meio da Portaria nº3.186 de 26 novembro de 2020, para a renovação do parque tecnológico das maternidades.

O objetivo foi proporcionar o manejo adequado de gestantes e puérperas que necessitem de cuidado intensivo. Além disso, foram destinados outros R$13,3 milhões investidos na realização de ações estratégicas de apoio à gestação, pré-natal e puerpério, bem como medidas de redução da disseminação do novo coronavírus, por meio da Portaria nº 2222 de 25 agosto de 2020 e da Portaria nº 731 de 16 de abril de 2020.

Ministério da Saúde


Presidente CEMICAMP apesenta aula em Webinar da OMS

Hoje, 11/01/2022, no evento de palestras online "COVID-19 and Pregnancy Case Management Webinar Series" realizado pela OMS o Presidente do CEMICAMP, Dr. Luis Bahamondes, apresentou uma aula sobre COVID-19 e contracepção no período pós-parto/pós-aborto.

Outras aulas também foram ministradas por professores de outras instituições e você pode conferir todos os tópicos abordados abaixo.

COVID-19 and Pregnancy_Online Agenda_11 January 22 (1)


Nenhuma pesquisa sobre nós sem nós: por que o fortalecimento da capacidade de pesquisa é essencial para a saúde de todos


A pesquisa de alta qualidade é crucial para políticas e programas de saúde eficazes em todos os países, mas a capacidade de pesquisa não está disponível igualmente em todo o mundo.

Logotipo da HRP Alliance“Precisamos investir em jovens pesquisadores, mulheres pesquisadoras e na capacidade do pesquisador de nível médio para desenvolver e aplicar suas habilidades”, explicou Malabika Sarker, Presidente do Conselho Consultivo da HRP Alliance . “ Se realmente queremos melhorar a capacidade de pesquisa, não pode ser apenas de cima para baixo .”

Aqui estão quatro razões pelas quais o fortalecimento da capacidade de pesquisa - conhecido como RCS - cruciais para um mundo onde todas as pessoas atingem o mais alto nível possível de saúde e direitos sexuais e reprodutivos (SRHR):

1) RCS fortalece comunidades de pesquisa para liderança nacional, regional e global

Forte pesquisadores, instituições e infraestrutura são essenciais para gerar dados que reflitam com precisão as populações e promovam a igualdade de gênero e os direitos humanos.

Desde 2017, a HRP Alliance tem colaborado com instituições de pesquisa nacionais e internacionais em países de baixa e média renda para ajudar a construir e conectar uma base sustentável de novos pesquisadores com experiência em SRHR. Isso permite que os pesquisadores se concentrem e publiquem em necessidades e interesses nacionais e regionais específicos. Também cria uma comunidade que pode sustentar os pesquisadores juniores na longa jornada de carreira que tem pela frente.

Mais de 2.200 indivíduos de 69 países foram apoiados pela HRP Alliance por meio de cursos de curta duração, bem como doutorado e mestrado. Dois recém-graduados com doutorado estiveram envolvidos em grandes estudos do HRP do Programa Especial de Pesquisa da ONU em saúde materna e planejamento familiar.

Charles M'poca

 

Como um PhD associado (fellow) da OMS-HRP, minha jornada não foi um esforço solitário”, disse Charles M'poca, apresentando sua pesquisa sobre mortalidade materna e SARS-CoV-2 na Reunião Global da HRP Alliance em setembro. Charles, que concluiu seu mestrado com o apoio da HRP Alliance, agora iniciou seu doutorado na Universidade de Campinas, Brasil através do CEMICAMP.

 

Tive experiência, exposição e oportunidades de crescimento. Eu quero ir para casa em Moçambique e criar um grupo de pesquisa sustentável sobre saúde materna e perinatal.” 

2) RCS cria um ambiente propício para pesquisadores

No centro da HRP Alliance estão os centros regionais de fortalecimento da capacidade de pesquisa - instituições acadêmicas selecionadas para liderar e fortalecer a capacidade de pesquisa em SRHR em suas regiões. Existem atualmente 7 hubs da HRP Alliance : Campinas, Brasil; Ouagadougou, Burkina Faso; Accra, Gana; Nairobi, Quénia; Karachi, Paquistão; Khon Kaen, Tailândia; e Hanói, Vietnã.

Logo do programa especial HRPA HRP Alliance conecta pesquisadores e instituições nesses centros aos escritórios da OMS, Centros Colaboradores da OMS e outros programas e parcerias especiais da OMS, bem como a projetos de pesquisa em andamento coordenados pelo HRP .

Além de criar oportunidades de pesquisa, os hubs da HRP Alliance são respostas estratégicas para dinâmica de poder na saúde global. Os desequilíbrios de poder podem criar barreiras à participação como iguais, especialmente para alguns pesquisadores em países de renda baixa e média, e contribuir para a propriedade limitada da pesquisa global em saúde que diz respeito diretamente às suas comunidades.

A HRP Alliance também promove a autoria justa de artigos científicos, incentiva grupos de pesquisa a incluir mulheres em posições de liderança e fornece mentoria estruturada para pesquisadoras em início de carreira .

“Meu mentor reconheceu meu zelo por pesquisa em um momento em que eu realmente precisava de um programa como este, me ajudando a priorizar”, explicou a Princesa Acheampong, pós-doutoranda em Gana, parte da primeira coorte do programa de mentores da HRP Alliance. “Eu também me conectei com outros pupilos no programa e agora estamos elaborando uma proposta de subsídio usando telefones celulares para melhorar a captação de serviços de saúde materna em Gana, Nepal e Paquistão.”

3) RCS facilita uma resposta rápida a emergências de saúde

Surtos e emergências de saúde criam a necessidade de agir rapidamente. Eles também são um lembrete de que evidências de alta qualidade são críticas para moldar respostas de saúde pública em tempo real.

Até o momento, a HRP Alliance financiou 23 desses projetos em colaboração com parceiros da OMS, incluindo chamadas conjuntas para pesquisas comunitárias sobre emergências de saúde durante o surto do vírus Zika (em 2016) e a crise de migração em massa nas Américas (em 2019).

Essas colaborações permitiram o surgimento de novas evidências do Brasil, Colômbia e Peru que fortaleceram o conhecimento sobre a relação entre doenças infecciosas da pobreza e saúde e direitos sexuais e reprodutivos. Isso é relevante tanto no contexto do Zika quanto na atual pandemia de COVID-19.

A HRP Alliance também ajudou a lançar uma luz de pesquisa sobre migrantes e refugiados , cuja saúde e direitos sexuais e reprodutivos são frequentemente restringidos - se não totalmente desconsiderados. A última chamada de propostas está apoiando11 grupos de pesquisa na América Latina para realizar pesquisas de alta qualidade e específicas ao contexto, com base nas prioridades locais e regionais, com ênfase na integração de considerações para igualdade de gênero e direitos humanos, bem como fortalecimento da capacidade de pesquisa.

Os centros da HRP Alliance também provaram ser essenciais para a resposta da pesquisa COVID-19, colaborando estreitamente com a OMS. Por meio de uma rede rápida e eficaz com os parceiros da HRP Alliance no início da pandemia, as redes de pesquisa COVID-19 foram rapidamente estabelecidas. Os centros estão liderando as pesquisas da OMS e do HRP relacionadas ao impacto da pandemia nos sistemas de saúde, gravidez e riscos do COVID-19 e experiências das mulheres com anticoncepcionais e aborto durante a pandemia.

4) RCS fortalece os objetivos compartilhados de todos os envolvidos

O fortalecimento efetivo da capacidade de pesquisa não é um projeto paralelo filantrópico: é uma parte fundamental dos ecossistemas de pesquisa sustentável de SRHR e da melhoria de SRHR para todos.

Desde o lançamento da nova estratégia em 2016, os pesquisadores apoiados pela HRP Alliance fizeram contribuições significativas para a implementação da OMS /Estudos do HRP em vários países,  construindo a base de evidências sobre questões críticas de saúde e direitos sexuais e reprodutivos. A HRP Alliance também mostrou que as oportunidades de participar de estudos de pesquisa maiores podem fortalecer a capacidade de pesquisa individual .

A saúde e os direitos sexuais e reprodutivos são um componente fundamental da cobertura universal de saúde, mas esforços para fortalecer a capacidade de pesquisa para gerar evidências para orientar a prestação de serviços de saúde sexual e reprodutiva são particularmente escassos”, disse Anna Thorson, Chefe de Unidade, Departamento de Saúde Sexual e Reprodutiva e Pesquisa da OMS / HRP.

A HRP Alliance tem um papel crítico a desempenhar, construindo redes, apoiando, ouvindo e aprendendo com o trabalho de cada um e fortalecendo as colaborações que irão melhorar a SRHR para todos.”

Página original: https://www.who.int/news/item/16-11-2021-no-research-about-us-without-us-why-research-capacity-strengthening-is-essential-to-health-for-all


Inscrições abertas de 1 a 15 de Dezembro/2021 para a Mentoria HRP - Alliance

 

 

ACESSE O LINK OFICIAL AQUI

 

O objetivo do programa de mentoria da HRP Alliance é apoiar pesquisadores em início de carreira em seu desenvolvimento profissional e de liderança por meio do apoio por meio de mentoria de pesquisadores seniores e colegas. O programa visa estimular o aprendizado e a aceitação de novos desafios.

- Para desenvolver um quadro de mentores de todo o mundo que expressem interesse em se tornarem mentores para pesquisadores de SRHR em início de carreira identificados na rede mais ampla da HRP Alliance. Atenção especial será dada ao recrutamento de mentores de centros de pesquisa de excelência em SRHR situados em LMIC e / ou Centros Colaboradores da OMS.

- Apoiar as relações de mentoria por meio de atividades de treinamento e capacitação.

- Apoiar o desenvolvimento profissional e de liderança de pesquisadores em início de carreira identificados por meio de um processo competitivo aberto à grande rede HRP Alliance.


Presidente CEMICAMP torna-se membro honorário da AMAdA


A Asociación Médica Argentina de Anticoncepción (AMAdA) foi fundada em 1999 e tem como um dos seus principais objetivos: "divulgar e promover o conhecimento científico relacionado à contracepção”, colaborando para alcançar os mais altos padrões em Saúde Sexual e Reprodutiva.
⠀⠀
Por compartilhar dos mesmos ideais, o Diretor Presidente do CEMICAMP, também Professor Titular do Departamento de Tocoginecologia FCM-UNICAMP, Dr. Luis Bahamondes, foi nomeado pelo Conselho de Administração AMAdA como "Membro honorário".
⠀⠀
Gostaríamos de parabenizá-lo por mais este destaque e reconhecimento internacional devido a sua importante atuação na área de saúde Materno-Infantil e contribuição para a ciência.

Campanha de arrecadação OAB Campinas

As Comissões de Ação Social e da Mulher Advogada da OAB Campinas iniciam uma campanha de solidariedade em prol das pacientes mais necessitadas atendidas pelo  Hospital da Mulher Prof. Dr. J. A. Pinotti-CAISM. Com o apoio do CEMICAMP (Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas), a iniciativa busca arrecadar recursos para aquisição de cestas básicas, medicamentos, produtos de higiene pessoal, roupas, órteses, próteses, entre outros itens necessários para mulheres de famílias carentes e vulnerabilidade social através do Núcleo de Voluntariado.

Segundo a presidente da Comissão de Ação Social, Gabriela Nicolau Olmedo Consul, os recursos arrecadados na campanha serão geridos pelos CAISM e utilizados na compra de itens, conforme a necessidade de cada paciente para que sejam atendidas o maior número de mulheres em dificuldade diante do momento atual da pandemia.

A campanha se dará por meio de depósito bancário (via PIX) em conta da área de responsabilidade social do CEMICAMP, sendo os valores integramente repassados para o CAISM. As presidentes das Comissões da OAB Campinas, as advogadas Gabriela Consul e Fábia Bigarani estão à frente da organização da campanha e mobilização da advocacia e da sociedade.

Para contribuir
Chave pix: malice@cemicamp.org.br
Banco Itaú – Ag. 0716
Conta – 99154-2
CNPJ – 49.409.816/0001-62

Conheça nossas Ações Sociais, clique aqui.