Associados começam a responder à pesquisa da Cemicamp

Jornal da Unicamp

Mais de 1,1 mil juízes e juízas filiados à Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) já responderam a questionário sobre o tema Aborto Induzido: Opinião e Conduta de Magistrados Brasileiros. Com 33 perguntas, o questionário é uma das estratégias de amplo estudo desenvolvido pelo Centro de Pesquisas Materno-Infantis (Cemicamp), organização não-governamental sediada em Campinas (SP), que recebe a colaboração da AMB. As perguntas foram encaminhadas a todos os cerca de 14 mil associados à entidade em 2005, encartadas nas edições nº 80 e nº 81 do boletim AMB Informa.

Desenvolvida pelos pesquisadores Aníbal Fagundes e Graciana Alves Duarte, em conjunto com o juiz de Direito José Henrique Rodrigues Torres, a pesquisa já foi realizada com homens e mulheres da sociedade em geral e com médicos. Eles alertam que quanto mais magistrados responderem ao questionário, mais fiel será o resultado da pesquisa. As respostas devem começar a ser analisadas em março.

Os organizadores considerarão, entre outras, as seguintes variáveis para análise do trabalho: idade, sexo, religião, estado civil, número de filhos, Estado da federação em que o profissional atua, tempo de magistratura, opinião sobre a lei que trata do aborto e conduta pessoal em relação ao aborto provocado.

O trabalho recebeu financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e foi aprovado pelo Comitê de Ética da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

“Esse é um tema que está em discussão nos principais meios de comunicação e no Congresso Nacional. É muito importante a participação dos juízes nessa pesquisa, pois a opinião deles pode contribuir para o delineamento de estratégias que ampliem o debate sobre os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres e os direitos humanos em geral”, explica Graciana.

Se você não recebeu o questionário, mas deseja recebê-lo, solicite-o pelo e-mail graduarte@cemicamp.org.br. Mais informações também podem ser obtidas pelo telefone (19) 3289.2556, ramal 237.